Home Variedades Resenha O Gigante Enterrado

Resenha O Gigante Enterrado

0 1915

o-gigante-enterrado-de-kazuo-ishiguro

“O Gigante Enterrado” livro do autor Kazuo Ishiguro, que tem sido muito elogiado pela crítica e pelo público por seus livros. Kazuo escreveu romances mas sóbrios e neste livrou resolveu quebrar paradigmas e se aventurar por um universo fantástico.

Num mundo fantástico onde Dragões, bruxas e monstros caminham entre os humanos, um casal de idosos partem uma viagem insólita para reencontrar seu único filho enquanto precisam cuidar um do outro e lidar com uma misteriosa névoa que parece ter lhe roubado as memórias.

Esse é o enredo do livro que se passa numa Grã-Bretanha anos após a queda do Rei Arthur. Um casal de idosos, Axl e Beatrice, vivem em uma comunidade de aldeões onde são tratados com certo descaso por serem mais velhos.  Cansados da situação decidem ir até a aldeia do Filho para quem saber ser recebido e passar a viver o restos de sua vida com ele.

Mas a um fato estranho que envolve todos os moradores da aldeia, ele não conseguem lembrar de seu passado, o próprio casal não tem certeza de suas lembranças, agindo mais por fé do que certeza e confiando numa possível lembrança do filho eles partem nessa viagem.

Durante sua peregrinação eles se deparam com um universo fantástico onde Ogros e monstros ainda andam sobre a terra, em que Cavaleiros da Távola Redonda ainda existem e onde o maior mistério de todos será revelado, a origem da terrível névoa que lhes rouba a memória. Conforme a história avança eles descobrem o envolvimento de um ser fantástico por trás da névoa.

Kazuo cria personagens muito tocantes, Axl e Beatrice mostram como o amor é transformado pelo tempo, como a falta da memória molda as relações e as afeta de forma positiva e negativa também. Temos também os personagens Gaiwan, Sobrinho do Rei Arthur, Winstan um guerreiro Saxão e o Menino Edwin que parece ser escravo de uma maldição.

O livro é cheio de significados, é uma leitura que dificilmente deixa o leitor sair ileso dela, pois cada personagem traz consigo sua percepção do jeito que o mundo os afeta.Em minha percepção Axl e Beatrice são a prova de que o amor é uma escolha que com o tempo se torna algo mais forte e maior. Gaiwan mostra como a lealdade pode aprisionar um homem, Winstan é a inquietação da busca pela de uma resposta e um fim ao mal que assola a terra, e Edwin é a esperança do futuro.

Kazuo joga outros elementos durante a narrativa que também dão muito a se pensar, a refletir sobre si mesmo, de como a falta da memória pode ser prejudicial e que certos pecados sempre estarão a espreita esperando para vir a tona. O elemento fantasia, presente no livro,  serve a um propósito não está apenas pra criar um imaginário fantástico na mente do leitor, mas sim pra levá-lo a entender que o livro na verdade é uma grande parábola sobre a memória, vida e amor.

“O Gigante Enterrado” é um livro que emociona e que mesmo depois do fim de sua leitura, nos acompanha por dias, pois é se trata de esquecimento e lembrança, amor e empatia, culpa e perdão.

 

Kleber Ivo designer e desenhista. Gosta de ler, desenhar, ouvir musica, tocar baixo/guitarra, cinema. séries e adora o mundo dos quadrinhos e afins.

ARTIGOS PARECIDOS